Sobre a ABRAROMA

A ABRAROMA – Associação Brasileira de Aromaterapia e Aromatologia foi fundada em 11 de setembro de 1997, na cidade de São Paulo/SP, para promover a aromaterapia em solo brasileiro e congregar os diversos profissionais que se dedicam a essa atividade.

Em 2016, um grupo de cerca de 60 aromaterapeutas se reuniu em Campinas/SP para refletir sobre a necessidade de criar uma Certificação Nacional em Aromaterapia que servisse para balizar a formação do profissional aromaterapeuta no Brasil, sem que fosse preciso recorrer a certificações internacionais. Na ocasião, esse grupo percebeu que seus esforços poderiam ir além, criando também um Código de Ética Profissional e unindo toda a cadeia produtiva em torno de projetos como o estabelecimento de critérios de qualidade para a comercialização de óleos essenciais e a formação de um banco de dados de estudos e evidências científicas sobre a aromaterapia.
A necessidade de estarmos organizados em torno de uma associação para a consecução dessas propostas se evidenciou imediatamente. Naquele momento, como ainda hoje, duas associações nacionais congregavam aromaterapeutas, a ABRAROMA e a AROMAFLORA, esta última fundada em 2004.

Diante das duas possibilidades que se apresentaram – fundarmos uma nova associação ou seguirmos em frente reestruturando uma das associações existentes – aquele grupo votou por seguirmos em frente reestruturando a ABRAROMA para os novos desafios do século XXI. Nesta decisão, é preciso destacar a generosidade das fundadoras-presidentes de ambas as associações, respectivamente Sandra Spiri e Emilia Kiyohara, que propuseram ao grupo que a ABRAROMA fosse a associação escolhida para o novo projeto, pelo motivo dela ter sido a primeira no Brasil.

Nesta reunião em Campinas ficaram estabelecidos grupos de trabalho para a reestruturação da ABRAROMA. Mas o desafio de conciliar agendas e pessoas em torno de discussões que são intrinsecamente complexas – dada a própria abrangência da aromaterapia e das áreas de conhecimento que recaem sobre os óleos essenciais – fez com que apenas em 2017 fosse possível, de fato, montarmos um cronograma de atividades em torno do que ficou estabelecido como o propósito principal da reestruturação, a criação da Certificação Nacional e do Código de Ética.

Naquele ano, também focamos em discutir e revisar o estatuto vigente da associação, e, sobretudo, em amealharmos filiados, seja para que os grupos de trabalho pudessem refletir a diversidade de profissionais da aromaterapia no Brasil, seja para provisionarmos fundos para o pagamento de honorários advocatícios, contábeis, taxas e impostos que virão com a reestruturação.

No início de 2018, no entanto, é que as reuniões dos grupos de trabalho de fato tiveram início. Durante três meses, 25 membros filiados* discutiram e elaboraram, em reuniões quinzenais e posteriormente semanais, os textos preliminares da Certificação Nacional em Aromaterapia, que recebeu o nome de CertAroma, e do Código de Ética Profissional da ABRAROMA.

Neste meio tempo, a comunidade de aromaterapeutas no Brasil foi surpreendida pelo anúncio de que a aromaterapia seria incluída na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PNPICS) do Ministério da Saúde (MS). O anúncio da Portaria nº 702, de 21 de março de 2018 do MS, foi feito durante o I CONGREPIS, no Rio de Janeiro/RJ, estabelecendo a inserção de dez novas práticas integrativas e complementares no Sistema Único de Saúde (SUS).

Logo após este evento, a ABRAROMA realizou uma transmissão ao vivo de sua página no Facebook onde o filiado Fabian Laszlo, que foi o interlocutor para a aromaterapia no CONGREPICS, juntamente com outros membros, pudesse expor as implicações do anúncio.

O fato da aromaterapia ter sido inserida no SUS não a tornou uma atividade profissional automaticamente reconhecida, e buscar este reconhecimento é um dos objetivos da ABRAROMA. No entanto, a ABRAROMA entende que a aromaterapia, dado seu caráter multidisciplinar, não deve ser uma atividade profissional regulamentada, e acredita que uma auto-regulamentação é o mais adequado para fundamentar e balizar a formação deste profissional, inclusive porque este tem sido o modelo adotado em muitos países onde associações autônomas estão constituídas, como na Inglaterra, Estados Unidos e Canadá.

 

A CertAroma é o passo mais importante para a auto-regulamentação, assim como o nosso Código de Ética Profissional. São objetivos da ABRAROMA, portanto:

  • a implementação, a divulgação e o reconhecimento da CertAroma como avalista da boa qualidade da formação do profissional aromaterapeuta, ou seja, do profissional que presta atendimentos em saúde com aromaterapia, entendida como uma prática integrativa e complementar em saúde;
  • a busca pelo reconhecimento da profissão aromaterapia com a manutenção da auto-regulamentação proporcionada pela CertAroma e pelo Código de Ética;
  • manter-se como principal entidade representativa dos profissionais da aromaterapia no Brasil, dando aos seus filiados o protagonismo nas discussões e decisões sobre o exercício profissional da aromaterapia no país;
  • congregar profissionais dos mais diversos elos da cadeia produtiva da aromaterapia no sentido de fortalecer e aprimorar o conhecimento acerca do emprego dos óleos essenciais tanto na saúde quanto em outras áreas do conhecimento humano;
  • assegurar que o acesso aos óleos essenciais, que são matérias-primas botânicas, sempre se mantenha livre para o consumidor final.

Outra etapa importante para que a ABRAROMA possa se empenhar nesses objetivos é a eleição de nova diretoria com a concomitante eleição, em Assembleia Geral, de novo Estatuto Social. A data desta eleição está prevista para setembro de 2018 e como filiado você será informado com antecedência dos preparativos.

Sandra Spiri, fundadora e atual presidente da ABRAROMA.

 

* Nome dos membros filiados que compõem esse grupo, em ordem alfabética: Alan Dias, Andrea Darco, Beatriz Yoshimura, Carla Vescovi, Emilia Kiyohara, Fabian Laszlo, Inalva Ruettimann, Janaina Sauer, Joice Freire, Liane Baccar, Lucí da Conceição Gonçalves, Luciana Figurski, Luciane Vishwa Schoppan,  Maria Aparecida das Neves, Mayce Azor, Mayra Correa e Castro, Raqueline Gomes, Rosangela Mendes, Sandra Spiri, Sheila Lyrio, Silvia de Castro, Telma Insuela, Vera Lúcia Castro, Vivian Malva, Yan Oberlaender.