Em função da pandemia do novo coronavírus, informações sobre a perda do olfato e sobre métodos que possam auxiliar em sua recuperação estão sendo muito solicitadas.

A ABRAROMA pediu à organização AbScent, com sede na Inglaterra e no País de Gales, para divulgar seu trabalho com pessoas anósmicas, ou seja, pessoas que vivenciam a perda do olfato.

A AbScent foi fundada por Chrissi Kelly, que perdeu o olfato em 2012 e, a partir desta experiência, começou auxiliar milhares de pessoas a recuperá-lo através de treinamentos olfativos. Chrissi estudou com o Professor Thomas Hummel, da Universidade de Dresden, Alemanha, que foi autor do primeiro estudo sobre o tema.

O site da AbScent possui alguns materiais já traduzidos para o português, mas também pode ser acessado com a ajuda do Google Tradutor. Como forma de facilitar o acesso ao material já traduzido, a ABRAROMA lista abaixo os links diretos para os documentos em PDF.

  • Formulário para auto-avaliação – (em breve)
  • Kits de treinamento olfativo: como fazer o seu – clique aqui
  • Dicas sobre como cheirar e anotar em seu diário olfativo – clique aqui
  • Site da AbScent.org – clique aqui

Adicionalmente, outra informação solicitada é sobre onde comprar os óleos essenciais indicados pela AbScent. Indicamos que eles sejam comprados em lojas de aromaterapia ou nos sites das marcas de aromaterapia disponíveis no Brasil. Embora a AbScent sugira, inicialmente, que os óleos essenciais de limão, cravo-da-índia, eucalipto e rosa sejam usados, a organização não limita o treino a apenas eles. O importante é que os óleos essenciais utilizados possuam cheiros distintos e reconhecíveis. Como o óleo essencial de rosa costuma ser bastante caro, sugerimos que você o substitua, por exemplo, pelo óleo essencial de gerânio.

Outro ponto importante é que, caso não seja possível montar um kit de treinamento olfativo com óleos essenciais, você poderá usar as próprias plantas de onde foram extraídos. Por exemplo, os próprios botões de cravo, cascas de limão, pétalas de rosa ou folhas de eucalipto. Apenas tenha em mente que o cheiro será mais fraco e durará por menos tempo dentro do pote fechado que o de um óleo essencial. Talvez seja necessário trocar as plantas mais vezes, de forma a ter um cheiro sempre mais potente.

Agradecemos à AbScent e a Chrissi Kelly pela oportunidade de divulgar este relevante trabalho em nosso país.

A Diretoria